terça-feira, 11 de setembro de 2012

O mal e o bem de cada dia

Andando pelas praias do Mar Morto, um dia, um homem perdeu o equilíbrio e caiu nágua em lugar bastante profundo. Não sabendo nadar, ficou em pânico. Desesperado, começou a agitar os braços e pernas, com medo de afogar-se. Finalmente, completamente exausto, viu que nada mais podia fazer. Clamando a Deus por ajuda, preparou-se para o pior. Que surpresa foi a dele! Tão logo se relaxou, a água o sustentou. Esquecera-se que o Mar Morto é tão cheio de sal e outros minerais, que, se uma pessoa se relaxa, pode facilmente flutuar sobre as águas. Não se afoga quando se entrega a flutuabilidade da água.

Esta singela história, tem uma profunda lição para nós que somos filhos do Senhor. Seus braços eternos amparam-nos se simplesmente abandonarmos nossos temores desnecessários e pararmos com nossos próprios esforços carnais. A segurança e a serenidade oferecidas por uma tão completa dependência dele aquietará nossos corações, mesmo nas horas mais desesperadoras da dificuldade. O Deus eterno é um ajudador que não falha nunca, quando nos estamos debatendo no mar da provação e da vida.   

Fonte: Mensageiro da Paz, nº: 1182/Pág..20/CPAD/outubro de 1985.

Nenhum comentário:

Postar um comentário