sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Falta da alegria


Sinto falta da alegria, da brincadeira sadia,
Da conversa jogada fora, como outrora,
Que sem malicia, ou importar com o tempo,
Não percebíamos passar o tempo,
E o mais importante para mim naquele tempo,
Era de está em tua companhia.

Com a Bíblia na mão, e muita simplicidade, 
Falava com inspiração, pregando a verdade,
Conseguia atenção de muitos, para ouvir seu sermão,
Suas mensagens com vida, sempre cheias de unção, 
Tinha sempre muita graça, diante do povo que conduzia,
E em seus lábios de profeta, víamos muitas alegrias.

Sinto falta de alguns bons momentos,
Que jamais sairão do meu pensamento,
Mesmo sabendo que não voltarão,
Mas que guardarei em meu coração,
E diante de tudo, e por tudo que passou,
Sinto falta de você, meu pastor.