sábado, 13 de agosto de 2011

Pai, meu amigo, meu abrigo

Pai,
É no teu colo amigo, onde encontrava abrigo,
Refúgio para aliviar meu cansaço, foi teus braços,
Era quem eu mais precisava para ter como amigo,
Acompanhou os meus passos, e me fez sentir teu abraço,
Para descansar em paz e poder dormir.

Pai,
Rosto sofrido, pelos dias que tem vencido,
Em que trabalhou deste cedo como provedor
Seja no sol ou na sombra, no frio ou calor,
Não economizou energia, pra alegrar o meu dia,
E nunca me deixou faltar o amor.

Pai,
São simples e singelas a tua expressão,
Mas sei que é sincera, do teu coração,
Seu estudo foi a terra, que encarou como guerra,
Com mãos calejadas, colheu os frutos que plantou,
E na conquista da vida se tornou vencedor.

Pai,
Queria ser teu orgulho, ter a tua admiração,
Te ver sempre feliz e até chorar de emoção,
Pelo esforço que fizestes e de ser recompensado,
Sua parte tem cumprido, agora é comigo, meu pai amado.
Você venceu, o seu filho cresceu, meu pai, meu herói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário