quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Lembranças de meu pai


Hoje é teu dia, lembrei de você,
Não que te esqueça, é que não estás aqui,
Minha mãe com certeza sente tua falta, eu ainda mais,
Faltou meu companheiro, foi embora meu melhor amigo,
Então lembro-me do teu colo, do teu afago, do teu agrado,
Por ser o único filho homem, tudo que você pediu a Deus.

Sem poder me criar e na dificuldade, aceitou a adoção,
Eu não te culpo, não te condeno, apenas entendo,
Sei que em tudo Deus tem seus propósitos, ele sabe,
Que talvez não fosse assim, não estaria onde cheguei,
Pois mesmo sendo o teu sonho, desejou o melhor pra mim,
E sabia que nunca deixaria de te amar.

Com quatro anos de idade, ainda criança,
Sem quase nada entender, parei e gritei bem alto,
Era pequeno e não sabia o tamanho da dor,
Mas como alguém que me dizia no ouvido, eu sentir,
Vindo depois a confirmação daquilo que ninguém esperava,
Então chorei! Era apenas uma criança, mas chorei como adulto.

Por ser apenas um menino, tentaram me consolar,
E nas lutas que passei, não estava pra me ajudar,
O tempo passou, muita coisa mudou, muita lutas superei,
Uma criança, com esperanças, com uma vida pela frente,
Obstáculos ultrapassei, e nada me fez te esquecer,
É meu pai e eternamente amarei você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário