terça-feira, 5 de maio de 2009

VOCAÇÃO

Conheci um menino no interior do Maranhão, um menino que apesar de tímido, era um sonhador. Seu percurso quase sempre era o mesmo, de casa para a escola, da escola para casa e a noite para a Igreja, já que acompanhava sua avó, aquela idosa e muito religiosa que sempre lhe ensinou todas as rezas, que ele com muita devoção fazia a todos os “santos”, bem como aos mortos, pois aprendeu que era pessoas que precisavam de uma força para não sofrer no outro mundo, ou purgatório.

Aquele menino pobre, pés descalço, família simples, carregava um rosário no pescoço, mas também um sonho, o sonho de ser SACERDOTE, de um dia tornar-se PADRE, pois ouviu uma canção por nome VOCAÇÃO, e algo falava forte naquela música, quando em um belo dia sentiu-se o máximo, ao representar um padre em uma peça de teatro na Igreja que freqüentava, foi momentos de muita alegria e satisfação, pois naquela cena representava um padre celebrando um casamento.

Aquela música despertou em sua alma o desejo de servir a Deus, sua letra é bem simples, porém forte, profunda, era Deus falando que o campo estava pronto para a ceifa, e que havia muitos convidados, porém, quase ninguém tinha tempo, mas que Deus estava procurando alguém que se dispusesse a ouvir seu chamado e cumprir com o seu ide.

Aquele menino cresceu, porém confuso. Sua mãe adotiva conhecera outra igreja, denominada pelos católicos como protestante, seita, hoje chamada evangélica, ou melhor, ASSEMBLÉIA DE DEUS. Naquela igreja o ensino era diferente, as reuniões eram mais alegres, havia um povo diferenciado, que falava de Deus diferente, e sua dúvida maior foi em pensar deixar para trás tudo aquilo que tinha aprendido de sua avó.

Por curiosidade resolveu procurar a tal verdade, adquirir conhecimento, o que era o melhor para sua vida, se era o que tinha aprendido por todo aquele tempo, ou a nova doutrina. Aquilo mexeu profundamente com sua vida, causando-lhe até mesmo insônia, pois rezava todas as noites, começando com um rosário, depois por ser longo mudou para um terço, e não se dando por satisfeito, mudou para rezar todas as noites: Cem Ave - Maria, Cem Santa Maria e Cem Pai Nosso, quando ficava sem rezar, algo lhe perturbava, como que cobrando todo aquele ritual.

Chega então o grande dia, dia que não estava nos planos daquele rapaz ir a nenhuma igreja, nem mesmo naquela onde nascera na religião, mesmo fazendo parte do grupo de jovens, naquele dia não estava disposto a ir a nenhum lugar.

Recebe o convite de uma amiga para ir ao culto, ele não aceita, porém, o segundo convite tinha um propósito de Deus nele, seu melhor amigo, que também não era evangélico o convida para a Igreja. Ele não entendeu, mas resolveu aceitar e foi à igreja.

Chegando ao Templo arrumou uma Bíblia, não sabe onde nem de quem lembra apenas que abriu em Rm. 10:09 que diz:

“Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Rm. 10.9,10 (Almeida Contemporânea, 1ª imp. 1999, Editora Vida, São Paulo)

Aquele menino, agora jovem, um rapaz de 17 anos, não resistiu ao chamado, era a sua vocação, estava de joelhos dobrado diante de Deus, confessando-o, como Senhor e Salvador de sua vida, porque era o momento de Deus agir, momento de Deus ouvir a resposta do seu chamado, o SIM daquele moço para fazer a sua obra, O DIA DA GRANDE DECISÃO.

Começaram as visitas para fazê-lo desistir, os amigos, seu padrinho de crisma proferiu duramente algumas palavras, porém ele estava convicto de que tinha feito a melhor escolha e agora estava vivendo NO SEU PRIMEIRO AMOR, que não podia deixar de ouvir o clamor das almas, não das que já morreram, mas das que clamam por socorro e sem salvação.

Aquele menino, o sonhador, que almejava ser um sacerdote, um Padre, tornou-se homem, HOMEM DE DEUS, Sacerdote sim, mas, agora Pastor, Deus cumpriu o Sacerdócio em sua vida, porque ele atendeu o seu chamado e acreditou na VOCAÇÃO.

QUEM DIRIA, UMA MÚSICA COMPOSTA E CANTADA POR UM PADRE, CONTRIBUIR PARA A VOCAÇÃO E DECISÃO DE ALGUÉM TORNAR-SE UM PASTOR, FAZENDO CUMPRIR ASSIM O CHAMADO DE DEUS PARA PREGAÇÃO DA SUA PALAVRA.

Um comentário:

  1. Excelente testemunho, meu caro. Eu conheço bem toda essa história, e cada uma das pessoas citadas sem os nomes. Lembrei-me do ditado: "Quando Deus quer falar algo pra alguém... usa até uma jumenta".
    Moacir Junior - www.misterio777.blogspot.com

    ResponderExcluir